Bem - Vindo ao maior Festival de Musica Portuguesa.           »          Hora Kuduro/Hora Kizomba - Sextas e Sábados ás 22.00h(pt)           -                        Temos as melhores musicas, os sucessos de todos os tempos, e os temas mais dançantes em todo o planeta.          Envie-nos os seus Eventos e nós Promovemos.

Uma banda formada por criminosos

Vocalista é um assassino e o baixista um ex-ladrão que, juntamente com outros presidiários, formaram uma banda, “Zomba Prison Project” está nomeada para os Grammy
“Zomba Prison Project” é uma banda muito diferente do habitual...
Os músicos estão todos detidos numa prisão... de alta segurança no Malawi. O vocalista da banda cumpre pena por homicídio e o baixista por roubo, mas mesmo assim conseguiram uma nomeação para a cerimónia dos Grammys, em Los Angeles, a 15 de fevereiro. 
Os membros da banda estão detidos e é um guarda prisional, Thomas Binamo, quem escreve as letras. 
O primeiro álbum da banda, I have no everything here, foi lançado em janeiro de 2015 e foi agora nomeado para melhor álbum do ano, na categoria de World Music. 
Oiça aqui uma das músicas do álbum que foi nomeado para a cerimónia dos Grammys, com a cortesia de sixdegreesrecords: 
Um dos guardas soube da nomeação através das notícias e correu para a prisão para contar a boa nova aos detidos. “Quando ouvi a notícia, pensei: 'mas o que é um Grammy?”, lembra o guarda prisional,  Little Dinizulu Mtengano, à AFP. 
O projeto começou como uma proposta de um produtor americano, Ian Brennan, que já tinha experimentado projetos similares em prisões norte-americanas. Brennan esteve na prisão do Malawi durante duas semanas para selecionar 16 detidos para compor o álbum. 
I have no everything here tem 20 faixas, cantadas em chewa (idioma local), gravadas num estúdio improvisado na prisão e conta também com a voz de algumas mulheres detidas. 
“A música ajuda-me a relaxar e a aceitar a situação", afirma Elias Chimenya, um dos detidos e membro da banda. 
A cerimónia dos Grammys está agendada para 15 de fevereiro, nos EUA, mas os nomeados não vão poder estar presentes. Segundo a AFP, existe a possibilidade de alguns membros, já em liberdade, irem assistir à cerimónia.    Ver aqui                    Tvi24